Ao final de 1996, Ana Paula Arósio já experimenta relativo sucesso. Após Razão de Viver, recebe novo convite de Nilton Travesso para Ossos do Barão, mais uma produção bem-cuidada do SBT. Entre as gravações da nova novela, aulas de interpretação e repetidas sessões de fotos, faz seus planos para o casamento, a se realizar com pompa em uma cerimônia ao ar livre, no dia 14 de dezembro. Seu noivo é Luiz Carlos Leonardo Tjurs, 29 anos, sócio da produtora de vídeo Arquitetura da Imagem, que chegou a realizar um clip para Guilherme Arantes.

      Excessivamente ciumento, Luiz Tjurs começa aos poucos a mostrar sinais de perturbação. Expõe suas desconfianças em relação a Ana Paula para amigos e familiares, até mesmo apontando os nomes dos possíveis casos de sua noiva. No dia 1.º de novembro, uma sexta-feira, Ana Paula foi visitá-lo à noite, mas não é bem recebida. Luiz Tjurs a acusava repetidamente de traição; após uma discussão, ele atira uma garrafa de vinho na parede, quebrando um espelho. Segundo depoimento de Ana Paula, naquela noite Tjurs parecia dopado, e a seguiu até sua casa, na volta, para se certificar de que ela não iria a outro lugar.

      Tjurs escreve alguns bilhetes, onde se diz desiludido "com um mundo podre, que não é meu", e acusa sua noiva de traição repetidamente. Preocupada, Ana Paula o visita no dia 3 de novembro, um domingo, e o encontra deitado em sua cama, sem quase conseguir se levantar. Eles discutem, e Tjurs pega uma arma, colocando balas no tambor. Estende o revólver para Ana Paula e pede: "Me mata". Diante da negativa da noiva, ele coloca a arma na cintura e escreve mais um bilhete, onde afirma estar "em pleno gozo das faculdades mentais", e que não teria mais razões para continuar vivendo. Ana Paula tenta tirar sua arma, mas Tjurs a empurra, caminha até o quarto cambaleando e dispara em sua própria boca.

      Ana Paula entra em estado de choque por vários dias. Em seu depoimento no 78.º DP de São Paulo, às 13 hs do dia 8 de novembro de 96, chega a desmaiar três vezes, e relata os acontecimentos com olhar distante. Liberados pela polícia, o teor dos bilhetes de Luiz Tjurs acabam sendo divulgados pela imprensa.

      Após sessões de sonoterapia, quando chegou até mesmo a pedir para experimentar o vestido de noiva, Ana Paula recuperou-se do choque gradativamente, voltando a gravar Ossos do Barão. Continuou a freqüentar por algum tempo a igreja evangélica Vida Nova, da qual Luiz Tjurs também fazia parte, e nos intervalos de gravação procurava relaxar fazendo tricô. Mas estes acontecimentos marcaram sua vida de maneira intensa, trazendo um amadurecimento brusco e intenso.